Aviso:

Aviso:

24 de janeiro de 2015

Belicismo e pacificação no dia-a-dia - Paulo Ricardo de Souza (Comunicando Conscienciologia)

Belicismo e pacificação no dia-a-dia - Paulo Ricardo de Souza (Comunicando Conscienciologia)

Senso de lucidez (Autolucidologia) - Tertúlia 18.01.15 - verbete 3271

Senso de lucidez (Autolucidologia) - Tertúlia 18.01.15 - verbete 3271

10 dicas para otimizar a Iscagem Lúcida



10 dicas para otimizar a Iscagem Lúcida

A definição de iscagem interconsciencial lúcida é a condição do ser intrafísico atuando ao modo de isca para consciências extrafísicas patológicas e energívoras para serem assistidas e encaminhadas pelos amparadores (maximecanismo assistencial). Saber diferenciar uma presença alterada na própria psicosfera energética geralmente é o diferencial entre ser vítima do assédio ou agente do amparo. Seguem abaixo 10 dicas resumidas e introdutórias para otimizar a isca consciente:

1. Desenvolva uma psicosfera terapêutica. A consciência mais evoluída, de manifestação mais madura e cosmoética, acaba tornando-se um instrumento a favor do cosmos. Ou seja, suas energias tornam-se assistenciais e terapêuticas assumindo frequentemente iscagens comuns, emergenciais e ligadas à própria tenepes. As queixas contínuas, a criticidade exagerada, o pessimismo agudo, os impulsos agressivos, as fantasias sexuais permanentes, as ideias fixas em dinheiro são exemplos de manifestações intoxicantes dos pensenes e da psicosfera. Há benefícios incalculáveis na permanência no holopensene da megafraternidade, da mentalsomática e da incorruptibilidade. Tornar as energias um “medicamento universal” é um tratamento prolongado, em primeira instância, para si próprio.

2. Aprenda a diferenciar as intrusões pensênicas. Uma pessoa mais lapidada, que conhece seu padrão médio de atuação, deve identificar os xenopensenes intrusivos. Isto é, ao surgir um flash patológico é necessário ter capacidade e sabedoria em notar ser algo próprio ou apenas um reflexo da psicosfera doente que se acopla. Nesse quesito, quem tem pensamentos sadios possui ampla vantagem daqueles com hábito crônico de ver o pior em tudo e em todos. Quem nota imagens “pesadas” está mais apto a redobrar a paciência, triplicar o potencial energético e expandir indefinidamente a fraternidade. Você é de fato alguém mais saudável, ou menos doente, em preparo para a interassistencialidade multidimensional?

3. Avalie as sensações da iscagem. É imprescindível identificar quanto as sensações que destoam do usual e lembrando que, obviamente, nem tudo será um processo de isca extrafísica (podendo ser, por exemplo, mera indisposição orgânica). Não banalizar nenhuma ocorrência é fundamental. Entre as sensações da iscagem destacam-se: obnubilação (ofuscação da lucidez), opressão, irritabilidade (sem causa aparente; diferente do temperamento), mal-estar repentino, sonolência irresistível, derrotismo agudo (denotando interferências extrafísicas pesadas), sensação de presença no ambiente, odores nauseantes, descoincidência vígil excessiva e vibrações energéticas desagradáveis pelo corpo. É a vivência com análise mais profunda que irá trazer noção concreta nas iscagens tornando-a lúcida.

4. Não reclame do desconforto. Para o serviço da iscagem lúcida é preciso estar ciente quanto a eventuais mal-estares e sensações desagradáveis em função dos acoplamentos com consciexes necessitadas. Quem não suporta nem um mínimo desconforto não está pronto para se tornar isca consciente. Na assistência parapsíquica e interdimensional é preciso ter sanidade e equilíbrio básico ao “se sujar” com problemas e enredos alheios. O veterano desse tipo de assistência possui tranquilidade íntima, pelo acúmulo de experiências, ao saber que esse tipo de desconforto é um processo efêmero que logo passa (iscagem não traz doença e nem morte). Você possui algum receio de que um mal estar passageiro se transforme em uma doença séria?

5. Faça o sensoriamento ao sentir desconforto. Iscagem lúcida não é meramente “sofrer calado”. Ou seja, ao notar uma alteração movimente as energias e faça um sensoriamento para perceber se existe uma consciex na psicosfera. Ter a certeza de alguma presença em seu entorno é resultado de muita prática e análise. Entretanto, há dois pontos a serem observados: o de que não deve existir medo de interação com seres extrafísicos e o de que a contínua vivência da iscagem elimina fantasias sinistras (desdramatização). Esse sensoriamento pode ficar cada vez mais avançado a ponto de você conseguir identificar na consciex o gênero (homem ou mulher), a etnia, o tipo de patologia, o contexto envolvido, retrocognições alheias e assim por diante. Lucidez gera lucidez.

6. Faça intensas exteriorizações energéticas. Depois do sensoriamento e de possível orientação do amparo, lance fortes cargas energéticas sem a intenção de “se livrar” rapidamente da situação. Quanto mais você imprimir e sedimentar sentimentos elevados, melhores serão os resultados do serviço interdimensional de desassédio. Em geral, cabe às consciexes assistentes, que possuem a cosmovisão do caso, o diálogo telepático esclarecedor com o assistido. É o somatório das suas energias com a interação pontual do amparo que propicia as condições favoráveis para que a consciência necessitada seja encaminhada para outra etapa assistencial. Quem tem energia muito sutil e suave geralmente carece de potência energética e tem saúde frágil denotando não estar atualmente preparado para a iscagem.

7. Durante a iscagem tenha postura de amparador. Caso ainda se sinta com pouca segurança ou queira ampliar sua competência, lembre-se de manter uma postura semelhante ao amparador extrafísico. Em outras palavras, durante a isca consciente tenha uma postura de positividade (não alimentar nenhuma ideia negativa, derrotista ou doentia), senso de megafraternidade (sentir intenso bem-querer pelo próximo), desassombro (afastar todo sentimento de medo, sem exceção), confiança (julgar-se constantemente amparado e incrivelmente forte mas sem prepotência) e por fim mantenha a autolucidez (aumentar ao máximo de suas possibilidades às parapercepções). É na repetição da vivência e nos pequenos avanços que se chega à atuação de excelência.

8. Identifique o nível da sua tara parapsíquica. Toda pessoa tem um limite pessoal quanto à carga ou às companhias extrafísicas que pode aguentar sem gerar autoperturbação. Essa capacidade de “lotação” é justamente a definição de tara parapsíquica. Apenas uma consciex desestruturada é suficiente para te desequilibrar? Ou são necessárias algumas dezenas? Esse tipo de análise e conclusão é muito importante já que, em certos casos, só põe banca quem tem competência. A condição sadia é justamente a progressão gradual do aumento da tara parapsíquica em conjunto com a lucidez até a desassedialidade consolidada. Por quanto tempo você consegue ficar sadio com apenas 1 megassediador na sua psicosfera?

9. Mantenha a saúde e o equilíbrio pessoal. A tranquilidade durante a isca lúcida mantém naturalmente a saúde emocional, mental ou holossomática como profilaxia a surtos e diversos desajustes. Para fazer assistência e desassédio é preciso modéstia e enorme força de vontade para aumentar exponencialmente o parapsiquismo e, concomitantemente, manter o equilíbrio íntimo por acessar tanto contextos positivos como altamente conflituosos. Consolidar a própria sanidade permite o contato técnico com as doenças, feridas e mazelas alheias. A maturidade real é quando a perturbação dos outros não te afeta mais e a maturidade avançada é quando há o esforço em diminuir ou mesmo extirpar essas heteroperturbações.

10. Perceba iscagens avançadas. Um tipo de iscagem sadia e mais avançada é a recepção de consciências, ou mesmo de grupos inteiros, que estão fazendo o curso intermissivo. Essa ocorrência é um troféu para a consciência intrafísica perante a evolução. Esse tipo de iscagem pode levar dias justamente para as consciexes checarem in loco nossas dificuldades, enfrentamentos e capacidades perante a vida humana. Um episódio desse porte é conduta-exceção e o indivíduo passa temporariamente a ser objeto de estudo e análise daqueles que estão preparando o renascimento próximo. A responsabilidade de nossas ações é vitrine perante a multidimensionalidade e traz satisfação ou vergonha pessoal. O alcance do seu exemplarismo e autoridade moral permitem a iscagem de intermissivistas?

Ao ler sobre iscagem muitos pensam ser uma condição longínqua e muito evoluída reservada apenas a seres especiais. Entretanto, verdade seja dita: todo mundo é isca. Todo mundo, com um mínimo de equilíbrio, eventualmente atua na iscagem inconsciente. Pode-se dizer que, para quem mexe seriamente com as energias, segue a máxima “pensou, iscou”. Ou seja, o pensamento é fonte atratora saudável ou não de consciexes para a psicosfera. Para tornar a iscagem lúcida e avançar dentro da assistencialidade parapsíquica é importante responder para si mesmo a 2 perguntas:

Estou pronto para assistir pessoas desconhecidas?
Tenho satisfação benévola apesar de eventual desconforto?



Esse texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.



Outros textos:
10 dicas para otimizar o desassédio – ver texto.
10 dicas para otimizar a pensenidade – ver texto.
10 dicas para otimizar a cosmoética – ver texto.
10 dicas para otimizar a autopesquisa – ver texto.
10 dicas para otimizar o trabalho energético – ver texto.
10 dicas para otimizar a escrita conscienciológica – vertexto.
10 dicas para otimizar a assistencialidade – ver texto.
10 dicas para otimizar a projetabilidade 1 – ver texto.
10 dicas para otimizar o estado vibracional – ver texto.
10 dicas para otimizar a autodefesa energética – ver texto.




23 de janeiro de 2015

Religião e Parapsiquismo - Igor Paim entrevista Marcelo da Luz (parte 2)

Religião e Parapsiquismo - Igor Paim entrevista Marcelo da Luz (parte 2)

Empreendedorismo e pacificação íntima - Paulo Ricardo de Souza (Comunicando Conscienciologia)

Empreendedorismo e pacificação íntima - Paulo Ricardo de Souza (Comunicando Conscienciologia)

Autoconfiança proativa (Traforologia) - Tertúlia 17.01.15 - verbete 3270

Autoconfiança proativa (Traforologia) - Tertúlia 17.01.15 - verbete 3270

22 de janeiro de 2015

Aparências e falsa imperturbabilidade - Alexandre Nonato (Conscienciologia)

Aparências e falsa imperturbabilidade - Alexandre Nonato (Conscienciologia)

Identificação do belicismo para pacificação - Paulo Ricardo de Souza (Comunicando Conscienciologia)

Identificação do belicismo para pacificação - Paulo Ricardo de Souza (Comunicando Conscienciologia)

Apetência invexológica (Invexologia) - Tertúlia 16.01.15 - verbete 3269

Apetência invexológica (Invexologia) - Tertúlia 16.01.15 - verbete 3269

Planejamento de marketing cosmoético (Planejamentologia) - Tertúlia 15.01.15 - verbete 3268

Planejamento de marketing cosmoético (Planejamentologia) - Tertúlia 15.01.15 - verbete 3268

20 de janeiro de 2015

Parapoliticologia aplicada a Pré-Intermissiologia

Parapoliticologia aplicada a Pré-Intermissiologia

Como medir la asistencialidad personal - Waldo Vieira (Conscienciologia) - Subtítulos en español

Como medir la asistencialidad personal - Waldo Vieira (Conscienciologia) - Subtítulos en español

Internacionalização da conscienciologia (Policarmologia) - Tertúlia 14.01.15 - verbete 3267

Internacionalização da conscienciologia (Policarmologia) - Tertúlia 14.01.15 - verbete 3267

Atualização autoparadigmática (Paradigmologia) - Tertúlia 13.01.15 - verbete 3266

Atualização autoparadigmática (Paradigmologia) - Tertúlia 13.01.15 - verbete 3266