Aviso:

Aviso:

20 de julho de 2014

A Dieta da Mente - Saúde do Corpo, do Cérebro e Alimentação (Reaprendentia)

A Dieta da Mente - Saúde do Corpo, do Cérebro e Alimentação (Reaprendentia)

Lidar com as incompreensões e Exemplarismo - Hernande Leite (Conscienciologia)

Lidar com as incompreensões e Exemplarismo - Hernande Leite (Conscienciologia)

Carência afetiva na infância (Parapatologia) - Tertúlia 16.07.14 - verbete 3085

Carência afetiva na infância (Parapatologia) - Tertúlia 16.07.14 - verbete 3085

Duplismo invexológico (Invexologia) - Tertúlia 15.07.14 - verbete 3084

Duplismo invexológico (Invexologia) - Tertúlia 15.07.14 - verbete 3084

10 dicas para otimizar o Trabalho Energético



10 dicas para otimizar o trabalho energético:


A percepção e o controle das próprias energias é um recurso inestimável em favor da aceleração evolutiva quando utilizada com discernimento. Dessa forma, urge o máximo de investimento pessoal, sem qualquer tipo de alienação, em prol de uma vida crescente na multidimensionalidade. Segue abaixo 10 dicas resumidas e introdutórias para melhorar o controle bioenergético:

1. A repetição é o caminho do sucesso. Um dos “segredos” de qualquer habilidade, incluindo o animismo e o parapsiquismo, é o exercício da repetição. Quanto maior a prática, melhor será a destreza. Dependendo do fenômeno, uma repetição por dia pode ser suficiente ou insuficiente para o progresso contínuo. Alguém que aplica, por exemplo, uma técnica projetiva apenas uma vez por mês não tem o direito de reclamar ou resmungar que o extrafísico não “se apresenta”. Se existe alguma dica que se aproxima da “receita de bolo” é a prática disciplinada. Insistir na prática, mesmo com dificuldades ou pequenos fracassos, é característica do completista.

2. Faça com prazer, sem pressão. É importante em todo tipo de treinamento que se aprenda a gostar de fazer as técnicas e experimentações diversas. O medo do fracasso faz com que haja uma pressão íntima de não poder falhar. Por exemplo, sentir-se obrigado a praticar 20 EVs, a aplicar técnicas projetivas ou outro procedimento conduz a inevitável frustração. O ideal é criar gosto real e satisfação sincera nas práticas energéticas tanto pessoais como grupais. É mais interessante vivenciar o trinômio prática-satisfação-motivação ao invés de pressão-insatisfação-dissidência na vida energética. Gostar de fazer é mais importante do que “preciso fazer”. Você se sente forçado ao desenvolvimento ou já entendeu realmente seus proveitos evolutivos?

3. Não fique dependente de resultados. Se você movimenta suas energias esperando sempre resultados surpreendentes e sucesso permanente a prática deverá trazer decepções, especialmente em quem é principiante. Você mexeu as energias e não percebeu quase nada!? Tudo bem. Esse tipo de ocorrência faz parte do desenvolvimento pessoal. Se certas dificuldades surgirem ou se alguns resultados fracos aparecerem não desanime, insista! Não se escravize na pensenidade: “tenho que ser melhor que os outros”. Com o passar do tempo, caso os resultados esperados ou fantasiados não ocorram, podem acontecer bloqueios psicológicos autoimpostos. A persistência é um grande diferencial entre vencedores e fracassados.

4. Aprenda a ter flexibilidade mental. O energizador ideal é aquele que se condiciona a movimentar o energossoma em qualquer local ou situação. Um indicativo dessa flexibilidade é utilizar as energias ao menor sinal de desconforto ou problema sem deixar para depois. Certas necessidades precisam ser atendidas na hora com as bioenergias, não devendo esperar. Nem sempre podemos mobiliza-las em locais adequados e em circunstâncias favoráveis. A flexibilidade pensênica permite aceitar que as práticas poderão ser trabalhosas e desconfortáveis eventualmente e, mesmo assim, a atitude consciencial permanece consistente. Quem sempre espera o melhor momento para trabalhar as energias normalmente faz pouco.

5. Anule qualquer pensene sabotador. Muitas pessoas têm como maior adversário para o desenvolvimento energético a própria pensenidade. O pensamento tem a faculdade de alavancar ou fossilizar as manifestações e por isso as ideias sabotadoras custam muito caro perante a evolução. Analise se antes, durante ou depois do trabalho energético você produz pensenes semelhantes a: “e se eu não conseguir?”, “e se eu me assustar?”, “eu não consigo!”, “eu não sou bom”, “já sei que não vai dar certo”, entre outros. Com esse tipo de postura mental e emocional o progresso pessoal será lento ou nulo. Reeduque os pensenes patológicos, se ainda existirem, em favor da saúde energética e multiveicular. Seu modo de pensar é condizente com sua potencialização energética?

6. Reeduque a concentração e atenção dividida. A concentração é um atributo fundamental na bioenergética pois a distração dispersa ou anula a prática. O melhor é recomeçar a técnica energética a cada desatenção. Dessa forma, com o treinamento, o tempo de concentração será cada vez maior até o seu domínio. Do mesmo modo, a atenção dividida é habilidade básica que permite fazer duas ou mais atividades simultâneas com competência. Ou seja, o indivíduo é capaz, por exemplo, de conversar e circular as energias no mesmo instante. A consolidação da concentração e da atenção dividida qualifica a duração e a capacidade energossomática geral. O megafoco é o caminho de quem visa o compléxis.

7. Segure a inventividade e a criatividade nas técnicas. É normal, ao descobrir as energias e o controle da consciência sobre a mesma, a tendência de criar e inventar novas técnicas e procedimentos. Entretanto, o melhor é primeiramente dominar as técnicas já existentes, de preferência com excelência, antes de se preocupar com o novo. Há pessoas que vivem “criando” práticas sem, contudo, ser eficiente em quase nada (nem nas básicas existentes e nem nas novas). Essas posturas são bem eficientes para aparentar flexibilidade e neofilia enquanto sutilmente se foge da responsabilidade (autossabotagem). O domínio energético requer dedicação e paciência diária e está ao alcance de todos com interesse sincero.

8. Aprenda a interagir com os amparadores. Apesar da predominância do animismo no trabalho energético, o ideal é estar aberto pensenicamente para a influência de amparadores extrafísicos. Nessa colaboração externa podem sobrevir reforços energéticos, mensagens pontuais ou mesmo o patrocínio de fenômenos correlatos diversos. Não estamos isolados nem mesmo no exercício energossomático pessoal. Se as energias estiverem sendo usadas para fins assistenciais as probabilidades de conexão com amparadores são muito maiores. Outro ponto relevante é observar se, porventura, existem assediadores atrapalhando e desencorajando a autossuficiência energética. Quem utiliza suas energias em favor dos outros (megafraternidade) acaba se desenvolvendo naturalmente mais rápido e com maior coerência.

9. Anote seus resultados, dúvidas e hipóteses. A anotação é uma das bases para o progresso energético e parapsíquico justamente por proporcionar, com o acúmulo de dados, análises mais profundas e técnicas sobre si mesmo. Fazer anotações é um posicionamento paradoxalmente simples e complexo. Quem realmente investe na própria evolução acaba recebendo a contribuição de consciências mais evoluídas por confiarem em suas atitudes. O trinômio experimentação-registro-análise permite uma aceleração justamente pelo autoentendimento gerado pela própria experiência (criticidade). Quem escreve suas vivências não tem como fugir das responsabilidades evolutivas e nem se esquivar da holomaturidade.

10. Não faça autocobranças patológicas. É preciso levar o desenvolvimento energético com seriedade mas sem autocobranças paralisantes e sufocantes. “Se não dominar as energias em 1 semana eu desisto” – Esse tipo de pensenidade acarreta pressão desnecessária que torna o controle energético um falso “termômetro” da qualidade da consciência. A autocobrança geralmente ocorre com quem vive se comparando anticosmoeticamente com os outros e tendo certa dose de autovitimização. Trabalhe suas energias fazendo o seu melhor. De modo geral, preocupe-se mais em fazer ao invés de aparecer. A anticonflitividade favorece os desbloqueios e a fluidez energética.

O progresso energético deve ser compatível com as atitudes cosmoéticas. De que adianta ter excelente controle energossomático e ainda manifestar ações semelhantes ao submundo (baratrosfera)? Quem entende sobre causa e efeito multidimensional sabe que um dia, de uma forma ou de outra, a anticosmoética retorna em quem a promove. Mobilizar altas cargas bioenergéticas faz de você um enfermeiro ou um agressor energético?

 

Esse texto traz apenas informações básicas.
Estude! Se aprofunde mais no assunto!
E não acredite em nada. Experimente!

Por Alexandre Pereira.



10 dicas para a otimização do desassédio – ver texto.
10 dicas para a otimização da escrita conscienciológica – ver texto.
10 dicas para a otimização da cosmoética – ver texto.
10 dicas para a otimização da pensenidade – ver texto.
10 dicas para a otimização da autopesquisa – ver texto.